Discursos

Aqui estão disponíveis os discursos de Fredie Didier Jr. Para ter acesso aos textos na íntegra, clique no arquivo em PDF disponível para download.


  • Salvador: ideias e monumentos

    Estava à procura de um tema para este discurso desde o dia em que recebi a notícia de que seria paraninfo da primeira turma de formandos da Faculdade Baiana de Direito.
    Não conseguia pensar em nada. Há dez dias, a ideia me veio em circunstância no mínimo inusitada. Em férias, visitei Atenas, na Grécia. Consegui um guia grego que falava português – Themistoklis Dimitrios Chachavias. Ele, que possuía alguma erudição (era professor de história da civilização europeia), explicava‐me a história de seu país, justificando a inexistência de muitos monumentos na Grécia.

  • Discurso de posse na Academia de Letras Jurídicas da Bahia

    Logo no Capítulo II, Bento Santiago, o Casmurro, anuncia que o propósito evidente do seu livro era o de atar as duas pontas da sua vida, “e restaurar na velhice a adolescência”. Sempre me impressionei com esse trecho, e dele me tenho valido em diversas oportunidades.

  • “Sobre pedras e castelos”. Paraninfia 2008.1

    Há uma frase muito bonita que circula na internet, de autoria duvidosa (alguns a atribuem a Fernando Pessoa): “Pedras no caminho? Guardo todas: um dia vou construir um castelo”.

    Quando a li, lembrei-me de uma história verdadeira, que gostaria de contar-lhes.

  • “O mundo torna a começar”. Paraninfia UFBA 2008

    Discurso de paraninfia, proferido por ocasião da colação de grau dos bacharéis em Direito, 2007.2, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, no dia 14 de fevereiro de 2008.

  • “Navegar é preciso, viver não é preciso”. Paraninfia UFBA 2005

    Discurso de paraninfia, proferido por ocasião da colação de grau dos bacharéis em Direito, 2005.1, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, aos seis dias de setembro de 2005.

  • “Oração de um moço – sobre aqueles que devem ser evitados”. Paraninfia UFBA 2001

    Discurso de paraninfia, proferido por ocasião da colação de grau dos bacharéis em Direito, 2001.1, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, no salão de convenções do Fiesta Convention Center, aos seis dias de setembro de 2001.